Retrato Falado

  • POR JACQUES DE BEAUVOIR

    Existe o desejo de reposicionar o Bahia Othon

    Entrevista com Sandra Haas
    • Inteligente e cautelosa (levando-se em conta a crise que atinge o país), Sandra Haas, recentemente empossada gerente geral do Bahia Othon Palace Hotel, não deixa de ser esperançosa quando o assunto é trazer de volta aquele lado social do hotel, que tanto o baiano curtia. De início, sua meta é manter a estrutura funcionando e a excelência do padrão de serviços. Levando-se em conta sua experiência no setor, a executiva vislumbra novidade – viabilizar um Oktoberfest temperado com dendê. Afinal, Sandra é alemã, nascida em Munique. Formada em Administração Hoteleira pela Universidade de Caxias do Sul, Sandra Haas complementou sua formação em hotelaria no Senac São Paulo e, posteriormente, em Administração de Empresas na Unijorge. Tem passagens por várias áreas do negócio hoteleiro, como alimentos e bebidas, operações e recepção e mais de três décadas no setor. Confira o bate papo.

    • Jacques de Beauvoir
      Expertise de mais de 30 anos de estrada no setor hoteleiro, com passagens no Sofitel, Accor, Mariott, Renaissance, Costa do Sauípe e Deville, qual seu principal desafio como gerente geral do Bahia Othon Palace Hotel num momento tão crucial em que o país passa por uma crise que permeia vários setores da sociedade?

      Sandra Haas:

      O maior desafio é, sem dúvida, manter o padrão de serviços e a estrutura funcionando sem prejudicar o conforto do nosso hóspede. Apesar da crise, esta é uma oportunidade única de revisar procedimentos, treinar as equipes e rever conceitos. O que vai nos diferenciar no mercado, é justamente o respeito aos anseios daqueles que, apesar de tudo, se mobilizaram para vir prestigiar Salvador e o nosso hotel. Não podemos decepcioná-los.

    • Jacques de Beauvoir
      Não só por sua localização privilegiada, o Bahia Othon sempre foi cultuado como um dos mais procurados pelo baiano. Inclusive por sua programação social. Você pretende reeditar o Réveillon e o 02 de Fevereiro, dois marcos do calendário festivo do hotel?

      Sandra Haas:

      Como cheguei há apenas um mês à unidade, ainda é cedo para falar de planos futuros desta dimensão. O desejo existe; porém, não podemos ignorar o fato de que a sociedade mudou ao longo destes anos e, consequentemente, seus hábitos. Sendo assim, antes de reeditar um evento ou até criar um novo conceito, temos que avaliar cuidadosamente as variáveis envolvidas, assim como a aceitação e retorno que este poderá trazer para todos.

    • Jacques de Beauvoir
      Outro tema aplaudido pelo soteropolitano eram os festivais gastronômicos, que aconteciam anualmente, e tidos como os melhores da hotelaria em Salvador. Cabe em sua agenda ainda para este ano um festival de comida alemã, já que você nasceu em Munique...

      Sandra Haas:

      A tradicional feijoada dos sábados continua firme e animadamente prestigiada. Quanto aos festivais gastronômicos, a rede Othon tem algumas datas em seu portfólio voltadas para a gastronomia e seus diferentes matizes, deixando sempre espaço para novas tendências. Quem sabe, unindo a mais recente febre pelas cervejas artesanais e minha origem alemã, no futuro não consigamos viabilizar um Oktoberfest temperado com dendê.

    • Jacques de Beauvoir
      Você já tem uma enorme vivência no Brasil. Já pode até se considerar brasileira. Você voltaria a morar na Alemanha? Da última vez que voltou ao seu país, o Brasil passava por uma crise, em 1990...

      Sandra Haas:

      Não podemos negar que a atual situação político-econômica do país não nos motiva muito a ficar. No entanto, acredito que o Brasil e, sobretudo a Bahia, é maior do que isso e que abandoná-los agora é sepultar toda a sua exuberância e esperança de dias mais prósperos. Em 1990 não me restava outra opção senão tentar uma carreira fora do Brasil. Agora é diferente. Tenho uma carreira consolidada e muito mais maturidade para contribuir, a minha maneira, para o crescimento econômico do país. 

    • Jacques de Beauvoir
      Que tal um barzinho aconchegante no Bahia Othon para curtir um happy hour, extensivo até a meia noite? O baiano adorava o aconchegante restaurante japonês, que ficava no térreo... Seria uma maneira de trazer o social para um hotel que já abrigou até a lendária boate Hippopotamus!...

      Sandra Haas:

      Existe sim o desejo de reposicionar o Bahia Othon Palace junto ao cenário social soteropolitano. No entanto, como disse anteriormente, este tipo de projeto pede cautela e um estudo detalhado da demanda de mercado. Além disso, atualmente a rede Othon está mais focada na renovação e modernização da estrutura do hotel. Uma vez terminada esta etapa, estaremos melhor preparados para atender aos anseios da sociedade baiana.