UNIFLEX-NOVO

Retrato Falado

  • POR JACQUES DE BEAUVOIR

    Queremos trazer de volta o soteropolitano à Rua Chile

    Entrevista com Antonio Mazzafera
    • Discreto, elegante e carregando um mundo de sensibilidade, Antonio Mazzafera, CEO e co-fundador da FERA Hotéis e graduado em Administração de Empresas, surgiu para resgatar um pedaço de Salvador tão querido para os soteropolitanos – a Rua Chile e em especial, o tradicional e histórico Palace Hotel. Sua experiência no setor de turismo e em gestão o levou ao exclusivo Maybourne Hotel Group (antigo The Savoy Group), onde se tornou o primeiro brasileiro a ocupar o posto de Global Marketing Director. De volta ao Brasil, seu foco do negócio é criar uma rede de hotéis boutique que oferece alto padrão de serviço a preços acessíveis, numa fiel tradução da hospitalidade brasileira, respeitando sempre a individualidade de cada propriedade. Antonio Mazzafera é o entrevistado do Bahia Vitrine para a coluna RETRATO FALADO.

    • Jacques de Beauvoir
      Seu currículo invejável com passagens significativas pelo turismo, hotelaria e tantos outros segmentos, traz um denominador comum: a paixão pela cultura, a história e a arte. Quesitos que, com certeza, o trouxeram a Salvador, e em especial, à Rua Chile e ao Palace Hotel, onde você inaugura o Fera Palace Hotel, em dezembro. Quais os caminhos para descobrir o icônico hotel?

      Antonio Mazzafera:

      Em uma de minhas viagens a Salvador, descobri o Palace Hotel na Rua Chile e fiquei apaixonado pelo prédio. É um dos edifícios mais lindos do Brasil, construído todo em estilo art déco e inspirado no famoso Flatiron Building de Nova Iorque. Minha dúvida inicial foi em investir em um projeto em uma área tão degradada como se encontrava o Centro Histórico em 2011. A paixão pela história e cultura da região me fez prosseguir e hoje vemos uma vontade política dos governos municipal, estadual e federal em revitalizar a área e acredito que tal missão possa ser atingida através de esforços conjuntos da iniciativa privado e poder público. 

    • Jacques de Beauvoir
      A curiosidade do soteropolitano é enorme para saber da restauração do prédio, que foi palco de momentos históricos e significativos, e fazia parte de uma rua, vibrante à época, com aquele cheiro especial, de pessoas perfumadas que circulavam por lá, final de tarde. Fui hóspede do hotel por diversas vezes...

      Antonio Mazzafera:

      O prédio está sendo totalmente restaurado nos mínimos detalhes como, por exemplo, a recuperação dos 230 adornos art déco da fachada. Nós, na verdade, tivemos grandes surpresas com o prédio, que estava em situação muito mais precária e grave do que imaginávamos. A estrutura do Palace estava toda enferrujada, parte do piso de madeira estava podre, a fachada com pedaços inteiros se desfazendo e a própria torre, famoso cartão postal, praticamente desmoronando. Nós reforçamos 672 pilares no prédio, tudo feito manual e artesanalmente; recuperamos e reconstruímos 746 janelas e portas; tratamos e recuperamos 2.000m² do taco original. Foi um trabalho não de reforma, mas de completa recuperação do prédio, que demandou fundos e prazo bem superiores aos previstos inicialmente.

       

    • Jacques de Beauvoir
      Sabe, a Rua Chile tinha vida própria. Lojas masculinas e femininas, grandes magazines, cafés, casa de chá, dancing, até uma boate, o Varandá, para onde, homens e mulheres, após uma noite black-tie no Régine´s, mergulhavam em um autêntico bas-fond. Um luxo! Esse conglomerado ficaria só na história ou existe a chance de uma revolução ao contrário? Ou seja, trazer frequentadores de shoppings para o centro histórico como vem acontecendo em muitas metrópoles...

      Antonio Mazzafera:

      Esta é nossa intenção: trazer o soteropolitano de volta à Rua Chile. Temos projeto para residencial na área, bem como lojas, restaurantes e bares. O próprio FERA Palace Hotel está sendo concebido para receber primeiramente os soteropolitanos em seus restaurantes, bares e salões de eventos. Nossa intenção é termos alternativas acessíveis a todos aqueles que queiram vivenciar um pouco da história apaixonante do Palace Hotel num ambiente descontraído, informal e com preço acessível. Aliás, nosso restaurante no térreo se chamará Adamastor, em homenagem à famosa loja de artigos finos masculinos que ali ficava, e terá menu executivo para almoço durante a semana, com preço promocional de R$45,00 incluindo entrada + prato principal.

       

    • Jacques de Beauvoir
      Isso pode justificar o comentário de que você adquiriu um conjunto de casas no entorno do hotel? Caso seja verdade, a memória afetiva do baiano agradece!

      Antonio Mazzafera:

      Adquirimos alguns imóveis ao redor do Palace para trazermos vida de volta à região, principalmente à noite, quando o comércio está fechado. Gostaríamos de ver o Centro novamente como um bairro vibrante, com pessoas morando, trabalhando e se divertindo nesta área. Somos totalmente contrários a qualquer tipo de especulação imobiliária e acreditamos que os imóveis no Centro Histórico têm que estar ocupados e com uso digno para a cidade. 

    • Jacques de Beauvoir
      O salão grande, no primeiro andar do Palace Hotel, tinha final de semana fervilhante: o badalado cozido de verduras, não lembro exatamente o dia, e um baile com orquestra. A recepção do casamento de uma famosa atriz baiana, Nilda Spencer, aconteceu lá. Sem esquecer que o local servia de camarote, não só para hóspedes, para ver o Carnaval passar. Sei que os tempos são outros. O que será mantido? Na agenda, já existe o Réveillon, quando o Fera Palace Hotel será inaugurado oficialmente. Uma dica para antes do Carnaval: um bal masqué. Existiram em Salvador pré-carnavalescos antológicos, como o Baile das Atrizes e o Baile de Oxum (este sempre realizado em hotéis)...

      Antonio Mazzafera:

      O salão do antigo cassino no primeiro andar foi completamente restaurado. Todas as janelas, adornos no teto, guarda-copos, piso, absolutamente tudo foi recuperado nos mínimos detalhes para recebermos eventos sociais e corporativos, de 5 a 300 pessoas, neste lindo espaço, rico em memórias.

    • Jacques de Beauvoir
      E a roleta, que ficava no andar térreo, vai ter serventia, caso o jogo seja permitido pelo governo?

      Antonio Mazzafera:

      A roleta será sempre mantida como peça original e de grande valor emocional para aqueles que frequentaram e jogaram no Palace.